Vida mais ‘clean’

Deixe sua vida mais ‘clean’

Por: Alice Goldfarb

A alimentação Detox está na moda e tem conquistado cada vez mais adeptos por conta dos resultados que ela apresenta. Mas, por qual razão devemos nos submeter a esse tipo de dieta? Como ela funciona exatamente? Por isso, conversamos com a nutricionista funcional Ana Luiza Nogueira, que esclarece algumas dúvidas a respeito desta alimentação.

De acordo com a especialista, a dieta detox tem como objetivo principal eliminar as toxinas acumuladas em nosso organismo. Estas toxinas são provenientes da má alimentação, além da poluição do ar, da água e também dos produtos de higiene e limpeza que utilizamos no dia-a-dia.  “Para que essa eliminação ocorra, é necessário que as toxinas sejam transformadas em substâncias hidrossolúveis. Assim, elas serão eliminadas através da urina, suor, fezes e via biliar”, afirma Ana Luiza Nogueira. Segundo ela, a desintoxicação só é possível pela associação de compostos bioativos, vitaminas, minerais e carboidratos de baixo índice glicêmico.

Ao longo da vida, somos expostos a diversas fontes de toxinas. Por conta disso, a dieta de desintoxicação se torna uma estratégia efetiva que deve ser utilizada a fim de restabelecer o equilíbrio orgânico. A dieta também auxilia na redução do risco de desenvolvimento de doenças crônicas.

Autor do best seller “Clean”, o médico uruguaio Alejandro Junger, especialista em cardiologia e medicina oriental, desenvolveu o programa que promete oferecer todas as ferramentas necessárias para restaurar, reequilibrar e curar o seu organismo. Os efeitos são transformadores: problemas de saúde persistentes são revertidos, o sobrepeso desaparece e somos enfim capazes de entender o que ser saudável realmente significa.

O método Clean possui como propósito a cura e o bem-estar físico através da comida. De acordo com estudos apresentados por Junger, muitos pacientes passaram a ter o organismo mais resistente a enfermidades e apresentaram mais disposição no lugar do antigo quadro de cansaço.

Uma das iniciativas promovidas pelo método Clean é a retirada dos produtos industrializados e alimentos que podem causar alergia. Junger defende que a ingestão destes ingredientes é capaz de aumentar o cansaço e a fadiga, além de diminuir as defesas do nosso organismo. Esta é a linha seguida e experimentada por anônimos e famosos, como Gwyneth Paltrow.

Gostou da ideia? Então já se prepare para tirar do cardápio todos os alimentos que contém corantes, conservantes e adoçantes, além de produtos enlatados ou embalados em caixa longa vida. Refrigerante? Nem pensar. Frituras e bebidas alcoólicas também são vetados, em prol de beneficiar o fígado. Leite e glúten também ficam de fora, já que são considerados alimentos com alta taxa de intolerância e provocadores de inflamações. Açúcar refinado também não pode.

Uma das vantagens do programa é que você poderá reproduzi-lo em casa, já que parte de um princípio simples, que é a eliminação de alguns alimentos e o incentivo ao consumo de outros. A duração pode variar, mas recomenda-se um mínimo de 21 dias, prazo que possibilitaria a total renovação celular.
Confira a lista de alimentos proibidos e permitidos:

PROIBIDOS
Produtos industrializados em geral
Leite
Derivados de leite: queijos, iogurtes, creme de leite, leite condensado
Alimentos refinados: arroz, pães, massas
Glúten: trigo, cevada, malte, centeio, couscous marroquino
Batata
Pimentão
Soja e seus derivados: shoyu, tofu, grão e bebidas
Carnes bovina (mais de 2 vezes na semana) e suína
Embutidos: salsicha, lingüiças, frios em geral
Temperos prontos
Bebida alcoólica
Refrigerantes e águas aromatizadas artificialmente
Café
Chá preto
Maionese, mostarda e ketchup
Amendoim
Açúcar e doces
Adoçantes
Margarina e gordura vegetal.

PERMITIDOS
Alimentos incentivados: Principalmente as folhas verdes, os grãos integrais e muita água.
Cereais integrais: arroz, quinua, aveia, amaranto, chia
Lentilha, feijões de todos os tipos, grão de bico, ervilha seca
Água de coco
Chás de ervas
Chás diuréticos: Verde (não tomar após às 17h, pois pode atrapalhar seu sono), cavalinha e dente-de-leão
Vegetais folhosos
Legumes
Mandioca, mandioquinha, cará, inhame
Frutas
Sementes: girassol, linhaça, abóbora, gergelim, melancia;
Castanhas: Pará, de caju, nozes, amêndoas, macadêmia, pecan e outras (mas, amendoim não pode!)
Peixes
Frango orgânico
Azeite de oliva extra virgem
Óleos : Linhaça, gergelim, castanhas, arroz (sempre prensados a frio)
Tapioca
Bolachas de arroz
Leite de arroz, aveia, amêndoas e coco
Protetores do fígado: alcachofra, couve manteiga, couve de Bruxelas, couve flor, brócolis
Agave (para adoçar o que for preciso) ou adoçante stévia
Massa de quinua ou arroz

Dra. Ana Luiza Nogueira – CRN 32.166
ans.analuiza@gmail.com